Decupagem de planos do filme “Novelo” (1968)

Plano 01
Letreiro anuncia que filme faz parte do 4º Festival Brasileiro de Cinema Amador, de 1968.

Plano 02
Plano difuso: num primeiro momento, lente desfocada, com folhas de planta ao lado esquerdo e pontos negros sobre o fundo branco. Aos poucos, ganha foco e é possível ver as plantas com perfeição.

Plano 03
Letreiro: “Uma realização / GUCA”

Plano 04
Plano rápido com desenhos: traços centrais dão a impressão de espermatozóides.

Plano 05
Letreiro: “NOVÊLO”.

Plano 06
Close do Plano 04: espermatozóides.

Plano 07
Letreiro: “Atores: / Fernando José / Ady Vieira”.

Plano 08
Plano com quadro de Hassis: feto em gestação, com cordão umbilical.

Plano 09
Letreiro: “Argumento: Pedro Bertolino”.

Plano 10
Feto rompendo a casca de um ovo.

Plano 11
Letreiro: “Títulos e quadros: / Hassis”.

Plano 12
Plano com outro quadro de Hassis: marcas de mãos.

Plano 13
Letreiro: “Música: Igor Stravisnky, Francisco Mignone, Heitor Villa-Lobos”.

Plano 14
Plano com quadro de Hassis: mais marcas de mão.

Plano 15
Letreiro: “Produção: / Ady Vieira Filho”.

Plano 16
Letreiro: “Colaboração financeira: / Prefeitura Municipal de Florianópolis / Governo do Estado - SEC / Reitoria da UFSC / DCE / BRDE – Dr. Francisco Grillo / Cia. Catarinense de Crédito S.A.

Plano 17
Rosto deitado, coberto com algo parecido com barro, que segue até o limite da tela com olhos e bocas fechadas.

Plano 18
Letreiro: “Câmera e direção: / Gilberto Gerlach”.

Plano 19
Letreiro: “Direção e roteiro: / Pedro Paulo Souza”.

Plano 20
Plano americano de ator sentado, lendo um livro.

Plano 21
Plano em diagonal: ator continua lendo. Em primeiro plano, uma pilha de livros. Ao fundo, estantes com mais livros. Câmera se movimenta em torno do ator, até alcançar uma over-shoulder com foco no livro pousado na mesa.

Plano 22
Close na página do livro. Lê-se sublinhado: “Por isso se diz: os valores não são, eles valem. Para todas as esferas do ente, é do objetivamente dado, os valores são os normativos. A História não é outra coisa do que a realização de valores”. (Nota: frases extraídas do livro “Introdução à Metafísica”, de Martin Heidegger).

Plano 23
Plano americano do protagonista sentado, ainda lendo. Olha para cima, como quem reflete algo. Volta a ler.

Plano 24
Plano fechado lateral do livro sobre a mesa. Protagonista o fecha e o retira da mesa.

Plano 25
Estante com livros. Protagonista se dirige a ela. Guarda livro que lia até então. Retira outro (parece ser a Bíblia). Abre-o e o folheia rapidamente. Fecha-o e o joga no lixo. No primeiro plano, uma máquina de escrever. Câmera se movimenta por cima da máquina de escrever e focaliza o livro. Corte brusco.

Plano 26
Música intensa. Câmera em zigue-zague, de cima para baixo, da Catedral Metropolitana de Florianópolis.

Plano 27
Livros caem da estante.

Plano 28
Plano baixo, somente os pés do protagonista saindo por uma porta. Afasta-se e sai do plano.

Plano 29
Vasto corredor. Protagonista entra no plano. Caminha se afastando da câmera.

Plano 30
Inicia música. Plano confuso. Uma lâmina de barbear com dois lados paira em um fundo branco. De início, está sem foco.

Plano 31
Novamente aparece a lâmina de barbear, desta vez, parece estar planando em um canto, com um jogo de sombra e luz.

Plano 32
Plano fechado na lâmina de barbear. É possível ler inscrições.

Plano 33
Rosto do protagonista observando fixamente. Plano que se demora.

Plano 34
Repetição do Plano 32.

Plano 35
Mudança de cenário. Mudança de música. Protagonista está em seu quarto. Caminha até a cama. Deita-se. Aos poucos, entra em foco.

Plano 36
Plano fechado no rosto do protagonista. Olha para o lado. Parece estar refletindo.

Plano 37
Plano fechado no rosto de perfil do protagonista. Olha para o lado.

Plano 38
Plano no rosto do protagonista olhando para o alto. Câmera acompanha seu olhar e encontra um quadro. Retrato impressionista de uma mulher.

Plano 39
Plano fechado no retrato de mulher.

Plano 40
Mãos no barro que seguram algo que se encontra enterrado. Uma boneca/criança é retirada da lama.

Plano 41
Repetição do Plano 39.

Plano 42
Uma janela aberta. Protagonista se levanta e vai até ela. Olha para fora por um tempo.

Plano 43
Plano fechado do protagonista na janela, de costas.

Plano 44
Protagonista apanha chave e sai. Fecha porta branca atrás de si.

Plano 45
Carro sai da garagem de uma casa de muro baixo. Câmera acompanha seu deslocamento até dobrar esquina. Duas crianças andam de triciclo na calçada.

Plano 46
Interior do carro em movimento. Protagonista dirige.

Plano 47
Nova música. Plano da Ponte Hercílio Luz, vista da cabeceira do Estreito. Carros entram e saem do continente.

Plano 48
Câmera dentro da Ponte registra movimento de veículos em uma pista. Carro do protagonista a atravessa. Movimento de panorâmica acompanha o deslocamento. Carros transitam apenas no sentido Continente-Ilha. A outra pista está vazia.

Plano 49
Pista em que trafegava carro de protagonista está parada e engarrafada. Seu carro está num primeiro plano, à esquerda. Ônibus da linha “Canto” está atrás. Carros deslocam-se no sentido contrário. Nesta pista, é possível ver ainda os pranchões de madeira que serviam de guia para os veículos ao passo que na pista onde se encontra o protagonista, o asfalto já foi instalado. Plano longo de espera.

Plano 50
Fim da música. Ruídos urbanos. Homem de chapéu carrega cesta, atravessando a rua em meio ao movimento. Protagonista está ao fundo, num segundo plano (quase despercebido). Acaba de estacionar o carro e o tranca. Sai andando para a esquerda.

Plano 51
Protagonista anda pela cidade em meio ao movimento intenso de carros. Destacam-se vidros de fuscas.

Plano 52
Surge muro com a pichação: “NOSSO PROTESTO NÃO MORREU”. Diversas pessoas passam em frente. Homem com chapéu está sentado próximo ao muro. Homem de terno pára e dá um trocado a ele. Depois, sai do plano.

Plano 53
Protagonista visto de cima. Está parado. Pessoas passam por ele. Continua olhando. Vira a cabeça e conseguimos ver o seu rosto.

Plano 54
Plano da cidade. Ao fundo, observa-se a placa da loja “Ponto 16”. Pessoas caminham. Fusca pára em frente à loja e depois acelera.

Plano 55
Plano baixo do cais da Hoepcke. Foco está no primeiro plano, em algumas plantas. Inicia música. Protagonista acompanhado de outro homem entra no plano da esquerda para a direita, ao fundo. Entram em foco à medida que caminham em direção à câmera.

Plano 56
Plano mais próximo. Ambos caminham. Homem de branco, que está com o protagonista, não pára de falar. Argumenta e gesticula muito. Ao fundo, casarão com portas em arco. Em panorâmica, câmera acompanha o seu deslocamento.

Plano 57
Entram por uma esquina formada pelo casario. São vistos em plano de fundo. Caminham da direita para a esquerda. Homem de branco continua a falar.

Plano 58
Aparecem após nova esquina formada pelo casario. Observa-se trilho no chão. Homem de branco continua a falar.

Plano 59
Plano fechado em ambos. Protagonista se apóia em mureta e fica de perfil ao passo que homem de branco continua a falar. Aos poucos, câmera enquadra mais o homem de branco.

Plano 60
Protagonista visto de perfil, com homem de branco antes dele. Nega com a cabeça. Cospe.

Plano 61
Repetição do Plano 59. Corte.

Plano 62
Vista de uma estrada (do Morro das Pedras). Carro se desloca em direção à câmera. Antes dele, uma carroça. Câmera acompanha o seu deslocamento.

Plano 63
Repetição do Plano 46.

Plano 64
Vista da ponta da praia da Armação. Carro entra em cena, da esquerda para a direita, em direção ao mar.

Plano 65
Repetição dos Planos 46 e 63. Protagonista desliga o carro.

Plano 66
Carro parado na areia da praia. Protagonista abre a porta e sai. Fecha a porta.

Plano 67
Plano fechado da mão do protagonista fechando a porta com a chave.

Plano 68
Plano da areia. Chave é jogada/abandonada.

Plano 69
Plano baixo. Carro à direita e protagonista à esquerda. Afasta-se caminhando em direção ao mar.

Plano 70
Repetição do Plano 68.

Plano 71
Continuação do Plano 66. Câmera ergue-se e é possível ver protagonista caminhando em direção ao costão.

Plano 72
Vista do costão. Mar em primeiro plano. Protagonista entra em cena subindo o costão. Passa por uma pequena porteira. Câmera acompanha seu caminhar em subida.

Plano 73
Câmera está no costão. Continua acompanhando seu deslocamento entre as pedras e a vegetação (contraposição à agitação vivida na cidade pouco tempo antes).

Plano 74
Protagonista é visto de baixo para a cima. Antes dele, uma pedra bastante grande. Está olhando em direção ao mar. Plano bastante sublime.

Plano 75
Plano fechado no rosto do protagonista. Câmera se aproxima de seu rosto e gira ao seu redor.

Plano 76
Plano fechado do chão, da vegetação e das formigas.

Plano 77
Repetição do Plano 75.

Plano 78
Repetição do Plano 75 e 77. Desta vez, câmera gira por trás de sua cabeça. Vê-se o mar diante dele. Percebe-se que ele está no alto. Tem o abismo diante de si.

Plano 79
Onda quebrando no costão com toda a força. Câmera move-se em panorâmica para a direita. Continua enquadrando o mar.

Plano 80
Protagonista de costas, sem roupas, encostado em uma pedra. Está em posição fetal.

Plano 81
Protagonista de cima em mesma posição.

Plano 82
Protagonista de perfil, num primeiro plano. Entre seus braços, vê-se o mar ao fundo.

Plano 83
Protagonista de perfil (do outro lado). Vê-se melhor seu rosto. Continua em posição fetal.

Plano 84
Protagonista de perfil, mais ao longe. O mar está em frente dele e ao fundo. Onda quebra violentamente perto dele.

Plano 85
Protagonista visto de perfil.

Plano 86
Protagonista ao fundo, entre as pedras, sem roupas, em posição fetal.

Plano 87
Repetição do Plano 85.

Plano 88
Protagonista inteiramente enquadrado. Esconde o rosto entre as mãos. Ainda em posição fetal e sem roupas. Sai de foco.

Plano 89
Plano estranho. Desta vez, inteiramente fora de foco. Protagonista torna-se parte da paisagem. Indistinto em relação às demais coisas.

Fim